Encontro incentiva aleitamento materno e alimentação saudável na infância

Em 2021 celebra-se 40 anos da criação do Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno no Brasil (PNIAM). Para dar continuidade às discussões sobre a importância da amamentação e a alimentação saudável na primeira infância, será realizado o Encontro Nacional de Aleitamento Materno – Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável (ENAM/ENACS). Apoiado pelo Cofen, o evento acontece de 01 a 04/12, em formato 100% online para a segurança dos participantes.

Diversos estudos internacionais evidenciam sobre a importância da amamentação para a proteção e sobrevivência de milhares de crianças. “O aleitamento materno precisa ser discutido em todo o território nacional, principalmente pela enfermagem, tanto na atenção básica quanto nas maternidades. Somos responsáveis por incentivar estratégias voltadas ao desenvolvimento das nossas crianças e redução da desnutrição e mortalidade infantil,” explica a enfermeira Ivone Abolnik, representante do Cofen no evento.

O Brasil está diante de um quadro de insegurança alimentar, social e econômica. Por isso, cabe aos profissionais de saúde, gestores, cientistas, grupos de mães, movimentos sociais, instituições de pesquisas, grupos de interesse público, estudantes, agentes comunitários de saúde e outros a divulgação e o fortalecimento da alimentação saudável.  Portanto, a Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar – Rede Internacional de Ação de Alimentos para Bebês, a IBFAN Brasil, defende a realização deste evento.

O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam que os bebês sejam amamentados por até dois anos ou mais e que o leite materno seja o único alimento da criança até o sexto mês de vida. Além de fortalecer o sistema imunológico e o vínculo mãe-bebê, a amamentação está associada a benefícios de longo prazo, como a redução da obesidade, diabetes e hipertensão arterial.

Não à chupeta – Atualmente, são proibidas por lei a propaganda, distribuição gratuita ou ação promocional de alimentos para bebês e crianças pequenas, incluindo bicos, chupetas e mamadeiras. Estes produtos prejudicam o aleitamento materno. Mas no passado não foi assim. A mudança é fruto de políticas públicas em apoio a amamentação, responsáveis pela restrição de ações meramente comerciais da indústria alimentícia, que convenceu gerações de que alimentos processados seriam ser equivalentes ou até mesmo superiores ao leite materno.

Acesse o portal do Enam para mais informações e inscrições.

Siga o Blog no Instagram com um simples clique: @blosaudecoletiva

Fonte: Cofen.

Fonte: www.blogsaudecoletiva.com.br/blog

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *