Pular para o conteúdo

Lavagem nasal: como deve ser feita e seus benefícios?

lavagem nasal

A lavagem nasal é muito importante para a saúde, principalmente em tempos mais frios que trazem consigo os resfriados. Ela é um procedimento que faz parte da rotina de muitos que sofrem de doenças como a rinite, sinusite e bronquite.

Neste texto vamos te mostrar a importância da lavagem nasal diariamente, como fazê-la e ainda dicas de como fazer a lavagem nasal em bebês.

Benefícios da lavagem nasal

O resfriado infelizmente não possui um remédio para sua cura, o tratamento deste problema, deve ser focado no alívio dos sintomas. O recomendado é a administração de descongestionantes para tratar a obstrução nasal.

Outra forma de realizar a limpeza é fazendo a lavagem do nariz, que é um dos exemplos de tratamento não medicamentosos. Estudos sobre lavagem nasal com solução salina mostraram que a técnica melhora significativamente os sintomas da gripe e resfriado, se comparado ao uso isolado de remédios.

A lavagem nasal também pode prevenir a rinossinusite, que são processos inflamatórios que podem acontecer após uma gripe ou resfriado. A lavagem nasal não somente beneficia os quadros de gripe e resfriado, as pessoas que sofrem de rinite alérgica e sinusite, também podem se beneficiar deste método.

Por ser muito comum, a congestão nasal muitas vezes passa despercebida, sendo considerada apenas um desconforto, mas que pode gerar complicações e afetar diretamente a nossa qualidade de vida.

Os casos em que a congestão nasal não é tratada, pode provocar apneia obstrutiva do sono, causando fadiga diurna, queda de concentração e de produtividade.

como fazer lavagem nasal

Lavagem nasal: como fazer?

A primeira coisa que você precisa saber antes de realizar a lavagem nasal, é que ela deve ser feita com solução salina, um exemplo dessa solução é o soro fisiológico. Você deve aplicá-lo em uma de suas narinas com a ajuda de uma seringa sem agulha, até que ela saia pela outra narina.

Repita esse procedimento mais de uma vez. As soluções ajudam a diluir o muco viscoso que se acumula durante as infecções do trato respiratório superior, e são descongestionantes naturais pois possuem uma concentração de sal maior do que os tecidos de nosso corpo.

Separamos aqui algumas das soluções salinas que podem ser usadas para fazer a lavagem nasal.

Soro fisiológico

A principal solução usada para descongestionar o nariz, o soro fisiológico é um produto fácil de ser encontrado, pode ser encontrado em qualquer supermercado ou farmácia, e pode conter apenas uma solução simples e pura ou possuir alguns conservantes.

Para usá-lo, você só precisa lavar o nariz com a solução algumas vezes ao dia, para te auxiliar com isso, use um conta-gotas, aspirador nasal ou seringa.

Receita caseira

Você também pode fazer essa solução de sua própria casa, para isso basta misturar 2 colheres de chá de sal marinho, 1 colher de chá de bicarbonato de sódio e 250 ml de água fervida. Depois de feito isso aplique o líquido ainda morno no nariz congestionado, até que sinta o alívio do sintoma.

Água e sal

E por fim, a lavagem nasal mais comum é feita apenas com água e sal. Você deve aquecer 200 mililitros de água potável e misturar uma colher de chá de sal ao líquido. Essa solução salina deve ser colocada em um irrigador nasal apropriado, e aplicada na narina, repita o procedimento nas duas narinas.

E enquanto você faz em uma narina, mantenha sua cabeça inclinada para que a água saia pelo outro lado. Depois de finalizada a lavagem, expire com o nariz antes de realizar uma inspiração para que as narinas fiquem livres de qualquer resquício da solução.

como fazer lavagem nasal em bebe

Lavagem nasal em bebês

A lavagem nasal deve ser um hábito frequente em bebês e crianças pequenas, mas realizar esse procedimento nos pequenos pode gerar muitas dúvidas e inseguranças. Por isso, nós iremos te ajudar com algumas dicas.

Você precisa realizar a lavagem sem medo, para isso é preciso estar confortável para realizar o procedimento. Comece com pequenos volumes de soro fisiológico e pouca pressão, somente depois que você e a criança estiverem mais habituados, você irá aumentar.

Você ainda pode usar uma pera para aspiração nasal, depois de colocar o soro. Prefira deixar a criança na posição sentada ou em pé, as crianças possuem a tuba auditiva, que é o canal que liga o nariz até a orelha média mais curta e horizontal.

Isso facilita o refluxo de líquidos para esta região, principalmente quando a criança está deitada.

A aplicação com sprays ou duchas, não possuem diferenças, por isso, você pode escolher a forma de aplicação mais adequada para você.

Ensine a criança a segurar a respiração, ela também pode falar “Ah!” por alguns segundos. Claro que isso somente será possível em crianças maiores e com maior compreensão, isso ajuda a diminuir o desconforto do líquido ir para a garganta.

Depois ela só terá que cuspir ou assoar o nariz.

Quantos ml posso colocar em cada narina?

Não há uma quantidade exata para isso, nem por idade. A quantidade irá variar se a criança estiver mais secreção que o normal, se há algum processo infeccioso associado, ou se é somente para limpeza nasal.

O indicado é que inicie com pequenas quantidades, como 0,5 a 1 ml em cada uma das narinas do bebê, e repita quantas vezes forem necessárias. Conforme adquirir segurança ao realizar o procedimento, você pode aumentar a quantidade se houver necessidade.

Em qual temperatura o soro precisa estar?

O ideal é que esteja em temperatura ambiente ou morno, nunca use o soro gelado. Desta forma, até as secreções mais espessas podem ser eliminadas.

Em que posição o bebê deve estar, quando fizer a lavagem?

Ele deve estar em pé ou sentado, e sua cabeça levemente inclinada para frente.

A boca do bebê precisa ficar aberta ou fechada?

O ideal é que a boca dele esteja levemente aberta.

A secreção precisa sair pela outra narina?

Não, necessariamente. A secreção pode sair ou não da narina, dependendo da quantidade de soro que você colocar, da quantidade de secreção, e do jato. O mais comum é que saia um pouco de soro pela própria narina, que ele saia pela boca ou aconteça de a criança o engolir com a secreção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.