Radiofrequência microagulhada antes e depois: conheça suas vantagens

radiofrequência microagulhada antes e depois

Radiofrequência Microagulhada antes e depois | A radiofrequência microagulhada é um procedimento estético capaz de proporcionar uma série de benefícios ao corpo.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre o procedimento, como funciona, benefícios e quanto custa:

O que é a radiofrequência microagulhada?

A radiofrequência microagulhada é um procedimento estético feito com um aparelho chamado AGNIS®, que é composto por múltiplas microagulhas revestidas de ouro.

O agnis é um equipamento de tecnologia avançada baseado no sistema de radiofrequência microagulhada. É capaz de atuar no estímulo natural da produção de colágeno e elastina no tecido.

As agulhas do agnis, quando atingem a profundidade indicada pela técnica, depois da epiderme, começam a liberar a energia responsável pela radiofrequência, que por sua vez é distribuída pelo local de forma intensa e uniforme.

Pelas ondas emitidas, o paciente é beneficiado por uma produção mais intensa de colágeno e pela renovação da pele. Com esse efeito, a temperatura na derme atinge temperaturas que contribuem para o remodelamento da produção de colágeno, elastina e ácido hialurônico.

É pela união das duas tecnologias, de microagulhamento e radiofrequência, que se é possível ter acesso a resultados satisfatórios. Quando os procedimentos são associados, pela potencialização de seus benefícios percebidos, não são necessárias tantas sessões para que o objetivo seja alcançado, além de uma recuperação mais rápida.

Para um melhor resultado, o profissional responsável pode fazer a aplicação de princípios ativos nos micro canais deixados pelas agulhas, de acordo com as necessidades de cada paciente pela “drug delivery”.

LEIA SOBRE: Segurança Psicológica: O que é, importância e como criar

microagulhamento com radiofrequência

Quais são as indicações do microagulhamento com radiofrequência?

Por conta de seus possíveis benefícios, a radiofrequência microagulhada pode ser indicada diante de diversos casos, entre eles:

  • Acne;
  • Cicatrizes de acne, cirúrgicas e traumáticas;
  • Sinais de envelhecimento – rugas e linhas de expressão;
  • Tratamento de Fotoenvelhecimento – envelhecimento causado pelo sol;
  • Tratamento da flacidez;
  • Rejuvenescimento da pele;
  • Linhas finas;
  • Poros abertos;
  • Melasma;
  • Estrias brancas;
  • Hipopigmentação;
  • Hiperpigmentação;
  • Queda de cabelo.

Quais são as contraindicações do procedimento?

Assim como as indicações, antes de se submeter a uma radiofrequência microagulhada, deve se considerar também as contraindicações.

  • Gestantes;
  • Câncer;
  • Desfibriladores;
  • Portadores de marco-passo;
  • Pessoas com placas metálicas no rosto;
  • Implantes metálicos ou próteses no local do procedimento;
  • DIU metálico;
  • Pessoas com tendência a queloides.

Como é feita a radiofrequência microagulhada?

O tratamento da radiofrequência, assim como os demais procedimentos estéticos devem ser feitos após uma avaliação para o alinhamento de expectativas e esclarecimento de dúvidas.

Para que haja a aplicação do aparelho específico na área a ser tratada, primeiramente o especialista irá realizar a passagem de uma pomada anestésica tópica (creme) sobre a região.

Dessa forma, o processo fica mais tolerável pelo paciente e gera menos desconforto, sendo a dor de leve a moderada. O recomendado é que o paciente chegue por volta de 30 minutos antes da sessão, para que seja feita a aplicação e para que o creme seja passado e tenha efeito.

Para que seja feita a aplicação das agulhas, é necessário que o profissional se atente ao uso de um material esterilizado e livre de bactérias, garantindo resultados satisfatórios e evitando complicações.

As agulhas são revestidas de ouro para que seja possível haver uma penetração menos bruta, reduzindo o desconforto em meio a aplicação.

Uma vez que o procedimento é feito visando o rejuvenescimento, o paciente percebe em meio ao tratamento um efeito lifting no rosto, melhorando o contorno mandibular, suavizando sulcos e rugas de expressão, ao redor dos olhos, na testa e ao redor da boca, além de suavizar olheiras, sem precisar da realização de cortes e pontos.

Após a radiofrequência microagulhada, o profissional responsável pode indicar que a técnica seja associada a outros procedimentos, possibilitando um melhor efeito estético. Normalmente são recomendadas de 3 a 5 sessões desse procedimento com intervalos mensais. Os benefícios já podem ser percebidos 15 dias após a sua realização.

LEIA SOBRE: Síndrome de boreout: o que é, sintomas, e como o RH pode combatê-la

radiofrequência microagulhada

Radiofrequência microagulhada antes e depois, quais são os cuidados necessários?

Assim como demais procedimentos, para que o procedimento tenha sucesso, o paciente deve considerar alguns cuidados necessários.

Antes da sessão, o indicado é que o paciente faça o uso de protetor solar diariamente, e, diante do histórico de herpes e de sua constância no local a ser tratado, é necessário que seja ingerido um medicamento preventivo.

Após o procedimento, o uso do protetor solar deve-se manter regular. É comum que depois do procedimento a pele fique avermelhada, podendo ficar um pouco inchada, assim, o uso de cremes e protetores específicos podem ser usados. Com o uso dos produtos certos, a pele pode recuperar cerca de 2 dias de uso.

Por fim, não hesite em contatar um especialista de estética para o procedimento, evitando futuros desapontamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.